Dúvidas Frequentes

Dúvidas Frequentes

Q: Sou usuário de lentes de contato (rígidas ou gelatinosas), quanto tempo devo ficar sem as lentes antes da consulta oftalmológica?

R: O ideal é ficar 3 dias sem as lentes gelatinosas e de 5 a 7 dias sem as lente rígidas.

Q: Com que frequência devo passar pela consulta oftalmológica?

R: A frequência com que os nossos olhos devem ser examinados difere com a idade e com doenças associadas.

Ao nascer é importante para exame do reflexo vermelho e fundo de olho.

Na criança por volta dos 2-3 anos, anualmente, em especial antes da entrada para a escola.

Os adultos saudáveis deverão fazer pelo menos um exame oftalmológico a cada dois anos entre os 20 e os 40 anos, desde que não surjam sintomas. As pessoas diabéticas, ou com outras doenças que sejam um fator de risco para problemas oculares devem ser também examinadas com maior frequência (anualmente se as doenças estiverem sob controle).

Após os 40 anos o exame ocular deve ser anual e já preventivo para doenças como o glaucoma. E acima de 60 anos devido ao aumento da incidência de catarata e degeneração macular relacionada á idade.

Q: O que preciso saber sobre os óculos de sol?

R: Devemos escolher óculos cujas lentes filtrem 99 a 100% da luz UV (tanto UV-A como UV-B).

A cor da lente não reflete mais ou menos proteção, é somente uma questão e conforto e preferência pessoal.

Mais do que a ação aguda dos raios UV sobre os nossos olhos (que provoca uma queimadura na superfície ocular do tipo da que é causada na pele), é o efeito cumulativo de longos períodos expostos à luz solar que tem um efeito mais pernicioso sobre a visão. A exposição prolongada à luz UV pode causar diversas alterações oculares mas a mais temida é uma alteração da mácula (ver em “O Olho Normal”) denominada degeneração macular relacionada com a idade.

Q: A tela do computador prejudica aos olhos?

R: Até o momento, não existem evidências científicas de os computadores sejam prejudiciais para os olhos.

Embora sabemos que o computador emite radiações durante o seu funcionamento, estas são produzidas em quantidades muito pequenas para se tornarem prejudiciais para a visão.

As queixas mais comuns de desconforto ou fadiga ocular, dificuldades de focar as imagens, dores de cabeça, etc., terão muito provavelmente como causa alterações dos próprios olhos (ametropias, olho seco) ou inclusivamente questões relacionadas com o local de trabalho.

No primeiro caso, deverá fazer um exame; o seu médico oftalmologista avaliará se tem doenças oculares que possam explicar esses sintomas.

Relativamente ao seu local de trabalho deverá ter em conta questões ligadas à medicina ocupacional e à ergonomia como ajuda para a resolução dos problemas.

Deixamos aqui alguns conselhos:

– Regule o brilho e o contraste do seu monitor de forma a que se torne menos “agressivo” para os seus olhos.
– Evite o reflexo no monitor de luzes ambientes ou mesmo da luz da janela. Altere se necessário a posição do seu monitor.
– Evite “trabalhar em negativo”, ou seja, trabalhar por exemplo um com fundo preto e letras em branco .Hoje em dia os programas são em fundo branco com letras em preto evitando assim esse inconveniente.
– Em certos casos a colocação de filtros no computador ou o uso de óculos apropriados podem contribuir para um trabalho ao computador menos fatigante.
– Questões mais ergonómicas poderão ser estudadas por especialistas em medicina no trabalho ou outros especialistas nesta matéria.